Chögyam Trungpa - photo de Hudson Shotwell

Trecho retirado do livro "Além do materialismo espiritual":

Chögyam Trungpa Rinpoche

Pergunta

Muitas pessoas têm consciência da verdade do sofrimento, mas não dão o segundo passo, ou seja, a consciência da origem do sofrimento. Por quê?


Resposta

Penso que é uma questão de paranoia. Queremos escapar. Desejamos fugir da dor, em vez de considerá-la fonte de inspiração. Achamos que o sofrimento já é suficientemente mau – assim, por que investigá-lo ainda mais? As pessoas que sofrem muito e compreendem que não podem escapar do sofrimento começam realmente a compreendê-lo. Mas, em sua maioria, as pessoas estão ocupadas demais tentando livrar-se da irritação, estão atarefadas demais tentando distrair-se de si mesmas, e não se dispõem a olhar para o material que já têm. É excessivamente constrangedor contemplá-lo. Essa é a atitude da paranoia: se olharmos bem de perto, descobriremos alguma coisa terrível. Mas, para sermos uma pessoa completamente inspirada, como Buda Gautama, precisamos ter a mente muito aberta, inteligente e inquisitiva. Temos que desejar explorar tudo, ainda que esse tudo seja feio, doloroso ou repulsivo. Essa espécie de mentalidade científica é importantíssima.