Chögyam Trungpa - photo de Hudson Shotwell

Dando o passo da primeira nobre verdade para a segunda

Trecho retirado do livro "Além do materialismo espiritual":

Chögyam Trungpa Rinpoche

Pergunta

Muitas pessoas têm consciência da verdade do sofrimento, mas não dão o segundo passo, ou seja, a consciência da origem do sofrimento. Por quê?


Resposta

Penso que é uma questão de paranoia. Queremos escapar. Desejamos fugir da dor, em vez de considerá-la fonte de inspiração. Achamos que o sofrimento já é suficientemente mau – assim, por que investigá-lo ainda mais? As pessoas que sofrem muito e compreendem que não podem escapar do sofrimento começam realmente a compreendê-lo. Mas, em sua maioria, as pessoas estão ocupadas demais tentando livrar-se da irritação, estão atarefadas demais tentando distrair-se de si mesmas, e não se dispõem a olhar para o material que já têm. É excessivamente constrangedor contemplá-lo. Essa é a atitude da paranoia: se olharmos bem de perto, descobriremos alguma coisa terrível. Mas, para sermos uma pessoa completamente inspirada, como Buda Gautama, precisamos ter a mente muito aberta, inteligente e inquisitiva. Temos que desejar explorar tudo, ainda que esse tudo seja feio, doloroso ou repulsivo. Essa espécie de mentalidade científica é importantíssima.

0 comentários

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Anterior

Como avaliar um professor budista

Como avaliar um professor budista

Próximo

Budismo com atitude, de Alan Wallace

Budismo com atitude, de Alan Wallace